Pressão baixa: causas, sintomas e tratamento

Pressão baixa: causas, sintomas e tratamento

A pressão baixa é um problema clínico difícil de ser tratado por um profissional de saúde. A pressão alta é conhecida como “assassina silenciosa”, porque está associada a poucos sintomas agudos. Já a hipotensão (hipo = baixa + tensão = pressão) pode ser normal para um paciente se estiver sem sintomas. No entanto, pode ser de grande importância se estiver associada a uma função anormal do corpo. Às vezes, a pressão baixa é algo bom, e uma meta a ser alcançada para manter a pressão arterial sob controle. Às vezes, ela é ruim porque não há pressão suficiente para fornecer fluxo sanguíneo para os órgãos do corpo.

As leituras de pressão arterial têm duas partes e são expressas como uma razão:

pressão baixa

  • – A pressão arterial “normal”, por exemplo, é de 120/80 (“12 por 8”) e mede a pressão dentro das artérias do corpo.
  • – A pressão sistólica, o número superior, mede a pressão dentro das artérias quando o coração está se contraindo (sístole) para bombear sangue para o corpo.
  • – A pressão diastólica, o número mais baixo, mede as pressões de repouso dentro das artérias, quando o coração relaxado após a contração.

Você pode pensar no coração e nos vasos sanguíneos (artérias e veias) como um sistema para bombear o sangue, assim como a bomba de óleo do seu carro. O combustível é bombeado através de tubos rígidos. A pressão permanece relativamente constante durante todo o ciclo de bombeamento. A menos que a bomba falhe ou haja vazamento de óleo. Então a pressão do óleo cairá.

O corpo é semelhante, exceto que os tubos têm paredes flexíveis, o que significa que o espaço dentro das artérias pode ficar maior ou menor. Se o espaço ficar maior, há efetivamente menos fluido e a pressão cai. Se o espaço ficar menor, a pressão aumenta.

As artérias têm camadas de músculos dentro de suas paredes que podem contrair e estreitar a artéria, gerando menos espaço dentro dos vasos. Alternativamente, os músculos podem relaxar e dilatar a artéria, abrindo mais espaço. Esses músculos estão sob o controle do sistema nervoso autônomo, o sistema automático do corpo que faz ajustes para mudanças de momento a momento na relação do corpo com o mundo. O sistema nervoso autônomo tem dois caminhos que se equilibram.

O sistema nervoso simpático usa adrenalina (epinefrina) para contrair os músculos. Os nervos que fazem esse controle estão localizados no tronco simpático, um grupo de nervos ao lado da coluna vertebral. O sistema parassimpático usa acetilcolina para fazer os músculos das paredes dos vasos sanguíneos relaxarem através do nervo vago. Por exemplo, quando você se levanta, os vasos sanguíneos têm que se estreitar um pouco para causar um ligeiro aumento na pressão sanguínea. Isso ocorre a fim de que o sangue possa subir para o cérebro. Sem essa mudança, você pode se sentir tonto ou desmaiar.

Pressão arterial

A pressão sanguínea normal depende de muitos fatores, incluindo idade e tamanho do corpo. Bebês e crianças têm leituras normais mais baixas que os adultos. Com base nas diretrizes da American Heart Association, qualquer leitura acima de 120/80 é considerada pré-hipertensão ou pressão alta no início da vida.

A faixa de pressão arterial sistólica para a maioria dos adultos saudáveis ​​está entre 90 e 120 milímetros de mercúrio (mm Hg). A pressão arterial diastólica normal varia entre 60 e 80 mmHg. As diretrizes atuais definem a faixa normal de pressão arterial como inferior a 120/80. As pressões sanguíneas acima de 130/80 são consideradas altas.

Pressão arterial baixa (hipotensão) é uma pressão tão baixa que causa sintomas devido ao baixo fluxo de sangue pelas artérias e veias. Assim, o fluxo de sangue é muito baixo para fornecer oxigênio e nutrientes suficientes para órgãos vitais, como cérebro, coração e rim. Quando ocorre, os órgãos não funcionam normalmente e podem ser temporariamente ou permanentemente danificados.

Ao contrário da pressão alta, a pressão baixa é definida principalmente por sintomas de baixo fluxo sanguíneo. E não por um número específico de pressão sanguínea. Alguns indivíduos rotineiramente podem ter números de pressão arterial de 90/50 sem sintomas. Nestes casos, portanto, não apresentam pressão arterial baixa. No entanto, pessoas com pressão alta podem ter sintomas de pressão baixa se a mesma cair para 100/60.

Para que a pressão arterial baixa seja um problema, é necessário que haja um sintoma associado a ela. Leituras abaixo de 120/80 podem ser normais dependendo da situação clínica. Muitas pessoas têm pressão arterial sistólica abaixo de 100, mas desenvolvem sintomas com pressões baixas. Sintomas da pressão baixa arterial ocorrem porque um ou mais órgãos do corpo não estão recebendo suprimento de sangue suficiente.

O que causa pressão baixa?

pressão baixa

A causa da pressão arterial baixa nem sempre é clara, no entanto, pode estar associado ao seguinte:

  • – Gravidez
  • – Problemas hormonais, tais como hipotiroidismo, diabetes, ou baixo teor de açúcar no sangue (hipoglicemia)
  • – Alguns medicamentos de venda livre
  • – Alguns medicamentos sujeitos a receita médica. Tais como os usados para pressão arterial elevada, depressão ou doença de Parkinson
  • – Insuficiência cardíaca
  • – Arritmias cardíacas (ritmos cardíacos anormais)
  • – Alargamento ou dilatação dos vasos sanguíneos
  • – Exaustão pelo calor ou insolação
  • – Doença hepática

A dieta também pode influenciar na pressão, neste sentido, alguns alimentos podem aumentar a pressão arterial, outros fazem o efeito oposto. Alguns alimentos que baixam a pressão arterial são: frutas, água de coco, azeite de oliva, cereais integrais, suco de beterraba, legumes crus e cozidos, entre outros.

Se a pressão arterial baixa causar sintomas clínicos, a causa será em uma das três categorias gerais, tais como:

  • – O coração não está bombeando com pressão suficiente
  • – As paredes das artérias estão muito dilatadas
  • – Não há líquido intravascular suficiente (intra = dentro + vascular = vasos sanguíneos) dentro do sistema

O que pode causar uma queda súbita na pressão arterial?

Quedas repentinas da pressão arterial podem ser fatais. As causas deste tipo de hipotensão incluem, por exemplo:

  • – Perda de sangue
  • – Baixa temperatura corporal
  • – Alta temperatura corporal
  • – Doença do músculo cardíaco causando insuficiência cardíaca
  • – Sepse, uma infecção grave no sangue
  • – Desidratação grave por vômito, diarreia ou febre
  • – Uma reação a medicação ou álcool
  • – Uma reação alérgica grave chamada anafilaxia que causa um batimento cardíaco irregular

Pressão sanguínea baixa e o coração

O coração é um músculo que funciona como uma bomba e é controlado por sinais elétricos. Problemas com a bomba ou a eletricidade podem causar problemas com a pressão arterial baixa.

– Se o coração bater muito rápido, a pressão sanguínea pode cair porque não há tempo suficiente para o coração reabastecer entre cada batida (diástole). Se o coração bater muito devagar, pode haver muito tempo gasto na diástole quando o sangue não está fluindo.

– Se o músculo cardíaco foi danificado ou irritado, pode não haver força de bombeamento suficiente para manter a pressão arterial.

– As válvulas do coração permitem que o sangue flua em apenas uma direção. Se uma válvula falhar, o sangue pode regurgitar para trás, minimizando a quantidade que fluirá para o corpo. Se uma válvula se tornar estreitada (estenótica), o fluxo sanguíneo pode ser diminuído. Ambas as situações podem causar pressão baixa.

Sintomas de pressão baixa

pressão baixa

Se a pressão arterial baixa é o estado normal para um paciente, então não haverá sintomas. Se a pressão arterial baixa é sintomática, então o paciente pode sentir:

Pressão baixa sintomas

  • – Tontura
  • – Vertigens ou desmaio
  • – Batimento cardíaco rápido ou irregular
  • – Náuseas e vômitos
  • – Fraqueza
  • – Falta de ar
  • – Dor no peito
  • – Sentir mais sede do que o habitual
  • – Visão embaçada
  • – Confusão
  • – Cansaço
  • – Pele fria e pegajosa
  • – Respiração ofegante
  • – Fezes negras
  • – Febre

Os sintomas dependerão de qual órgão do corpo está sem fluxo sanguíneo adequado.

Diagnóstico da pressão baixa

A chave para o diagnóstico é histórico de saúde e exame físico. Se a pressão arterial baixa for encontrada incidentalmente e não houver outros sintomas, isso será registrado e ajudará a lembrar o médico durante visitas futuras.

Se o paciente é sintomático, documentar os fatores de risco e explorar as causas potenciais requer um histórico detalhado da situação, por exemplo:

  • – Quando os sintomas ocorrem
  • – Sintomas associados
  • – Uma revisão completa de doenças e medicamentos passados

O exame físico pode incluir sinais vitais posturais. O paciente tem a pressão sanguínea e a frequência de pulso tomadas quando está deitado e novamente quando em pé (alguns podem adicionar um terceiro conjunto de medições ao sentar-se). Se a pressão arterial cair ou a pulsação aumentar, pode ser um indicador de diminuição do volume intravascular devido à desidratação ou sangramento. O restante do exame provavelmente será dirigido por pistas da história médica, mas pode incluir palpação da glândula tireoide no pescoço, ouvir o coração e os pulmões e examinar o abdome e as extremidades.

Exames de sangue podem ser feitos, novamente dirigidos pelo histórico médico e certos indícios encontrados no exame físico.

Um eletrocardiograma (ECG) pode ser realizado se a baixa pressão sanguínea for originada no coração ou se houver dor torácica ou falta de ar associada à baixa pressão.

O que pode levar um paciente a realizar mais testes dependerá da potencial causa subjacente da baixa pressão sanguínea.

Pressão baixa na gravidez

pressão baixa

Ter pressão arterial baixa durante a gravidez é comum. Na maioria das vezes, essa condição não causará grandes problemas, e a pressão sanguínea retornará aos níveis pré-gestacionais após o parto. Em alguns casos, no entanto, a pressão arterial muito baixa pode ser perigosa para a mãe e o bebê.

Se você estiver grávida, seu médico ou enfermeira provavelmente verificará sua pressão arterial a cada consulta pré-natal.

Sua leitura da pressão arterial revela informações importantes sobre a saúde de você e seu bebê. Além disso, pode ser uma maneira de o seu médico determinar se você tem outra condição que precisa ser verificada, como a pré-eclâmpsia.

Alterações que acontecem em seu corpo durante a gravidez podem afetar sua pressão arterial. Ao carregar um bebê, seu sistema circulatório se expande rapidamente, o que pode causar uma queda na pressão sanguínea.

Perigos da pressão arterial baixa durante a gravidez

Geralmente, a pressão arterial baixa durante a gravidez não é motivo de preocupação, a menos que você tenha sintomas. No entanto, a pressão arterial extremamente baixa pode causar quedas, danos aos órgãos ou choque.

A pressão arterial baixa também pode ser um sinal de gravidez ectópica, que acontece quando um óvulo fertilizado se implanta fora do útero da mulher.

A pressão arterial afeta o bebê?

Uma grande quantidade de pesquisas foi conduzida sobre como a pressão alta afeta bebês durante a gravidez, mas os dados sobre os efeitos da pressão arterial baixa são limitados.

Alguns estudos sugeriram que a pressão baixa durante a gravidez pode levar a problemas, como natimorto e baixo peso ao nascer. No entanto, outra pesquisa mostrou que fatores de risco adicionais são responsáveis ​​por esses resultados. Mais pesquisas são necessárias para entender o impacto da baixa pressão baixa durante a gestação.

Tratamento da pressão baixa na gravidez

Geralmente, você não precisará de tratamento para pressão baixa durante a gravidez. Os médicos normalmente não recomendam medicamentos para mulheres grávidas, a menos que os sintomas sejam graves ou que as complicações sejam prováveis. Sua pressão arterial provavelmente começará a aumentar sozinha durante o terceiro trimestre.

Pressão baixa o que fazer?

Geralmente, a pressão arterial baixa sem sintomas requer pouca intervenção. Se a pressão baixa estiver associada a dor torácica, falta de ar ou ocorrer devido a sangramento ativo, o tratamento deverá ocorrer ao mesmo tempo que uma avaliação diagnóstica.

Essas combinações podem ser um risco de vida, e o profissional de saúde pode precisar transferir o paciente para um departamento de emergência para mais cuidados. Um paciente com pressão arterial baixa e sintomático pode ser considerado em estado de choque (uma situação em que os órgãos não podem funcionar adequadamente devido à falta de suprimento de sangue).

Nestes casos, líquidos e oxigênio intravenosos podem ser administrados, e a monitorização do coração pode ser necessária. Com base nos sintomas subjacentes e no diagnóstico potencial, um tratamento específica pode ser iniciada. Exemplos incluem antibióticos para um paciente com uma infecção, adrenalina e um anti-histamínico para um paciente com uma reação alérgica. Pode ainda ser necessário uma transfusão de sangue para um paciente que está sangrando.

Mais frequentemente, um paciente apresenta uma história de sintomas, mas está se sentindo normal na apresentação para atendimento. Nessa circunstância, o profissional de saúde tem tempo para fazer um diagnóstico mais específico e combinar o tratamento com a causa subjacente da pressão arterial baixa.

Se as leituras da pressão arterial estiverem anormalmente baixas, a observação em um ambiente hospitalar pode ser apropriada. Isso novamente dependerá da situação específica e da apresentação do paciente.

O que é bom para pressão baixa?

pressão baixa

Dependendo da causa e sintomas, o médico pode dizer-lhe para fazer estas alterações simples:

  • – Deite e mantenha as pernas elevadas.
  • – Mantenha uma dieta com mais sal.
  • – Beba muitos líquidos não alcoólicos.
  • – Limite de bebidas alcoólicas.
  • – Altere ou interrompa medicamentos que baixam a pressão arterial, contudo, sempre com indicação médica.
  • – Beba mais líquidos durante o tempo quente e enquanto estiver doente com uma doença viral, como resfriado ou gripe.
  • – Faça com que seu médico avalie seus medicamentos prescritos e de venda livre para ver se algum deles está causando seus sintomas.
  • – Faça exercícios regularmente para, assim, promover o fluxo sanguíneo.
  • – Tenha cuidado ao levantar após estar deitado ou sentado. Para ajudar a melhorar a circulação, mexa os pés e os tornozelos algumas vezes antes de se levantar. Então, levante devagar. Ao sair da cama, sente-se na beirada por alguns minutos antes de se levantar.
  • – Levante a cabeceira da sua cama à noite.
  • – Evite levantar pesos.
  • – Evite esforço enquanto estiver no banheiro.
  • – Evite ficar parado por longos períodos de tempo.
  • – Evite a exposição prolongada à água quente, como chuveiros quentes e spas. Se você ficar tonto, sente-se.
  • – Pode ser útil manter uma cadeira ou banquinho no chuveiro, caso você precise se sentar. Para ajudar a evitar lesões, use uma cadeira antiderrapante ou projetadas para uso em chuveiros e banheiras.
  • – Para evitar problemas com a pressão arterial baixa e diminuir os episódios de tontura após as refeições, tente comer refeições menores e mais frequentes. Reduza os carboidratos. Descanse depois de comer. Evite tomar medicamentos para baixar a pressão arterial antes das refeições.
  • – Se necessário, use meias elásticas de compressão que cubram a panturrilha e a coxa. Estas podem ajudar a restringir o fluxo sanguíneo para as pernas, com isso, ajuda a manter mais sangue na parte superior do corpo.

Medicamentos de pressão arterial baixa

Caso essas medidas citadas acima não diminuírem o problema, assim, você pode precisar de medicação. Os seguintes medicamentos são frequentemente usados ​​no tratamento da pressão arterial baixa:

  • – Simpaticomiméticos
  • – Fludrocortisona
  • – Eritropoietina

Medicamentos que podem levar a pressão arterial baixa

Os medicamentos diuréticos, por exemplo, hidroclorotiazida, furosemida são usados ​​para controlar a pressão arterial alta. Eles fazem com que os rins produzam mais urina e diminuam o volume intravascular. Se o paciente perder muita água e ficar desidratado, poderá ocorrer baixa pressão sanguínea.

Beta-bloqueadores, tais como atenolol e propranolol, e, bloqueadores, como prazosina e labetalol, também pode causar pressão baixa. Esses medicamentos são comumente prescritos para o tratamento da hipertensão arterial. No entanto, podem fazer com que o coração bata muito devagar e, assim, causar hipotensão. Qualquer medicação para o coração precisa ser monitorada por um profissional de saúde para avaliar a resposta do corpo e selecionar a dose apropriada.

Medicamentos como o sildenafil (Viagra) em combinação com nitroglicerina podem causar dilatação dos vasos sanguíneos e baixa pressão arterial.

Drogas para a doença de Parkinson, como pramipexol, por exemplo, também podem causar esse efeito. Além disso, certos tipos de antidepressivos, incluindo doxepina, imipramina, protriptilina e trimipramina, também podem levar a pressão baixa.

Remédio caseiro para pressão baixa

pressão baixa

Os sintomas da pressão arterial baixa geralmente podem ser tratados com remédios caseiros e mudanças no estilo de vida. Aqui estão algumas medidas que você pode tentar:

1 – Beba bastante água

Tomar líquidos suficientes aumentará o volume do sangue, o que causará um aumento na pressão sanguínea. Além disso, beber um pouco de água cerca de 15 minutos antes de uma refeição pode reduzir a queda da pressão arterial que é experimentada depois de comer.

2 – Cozinhe com mais sal

O sal faz seu corpo reter a água, o que aumenta o volume de sangue em seu corpo. Aumentar a quantidade de sal em sua dieta pode, portanto, elevar sua pressão arterial. No entanto, só faça isso depois de verificar com seu médico.

3 – Aproveite a cafeína

Um estudo descobriu que, quando a cafeína era administrada após uma refeição, ela impedia a queda pós-prandial da pressão arterial em participantes idosos. Então, terminar sua refeição com uma xícara de café pode ser útil no combate à pressão baixa.

No entanto, tenha em mente que o café pode ter efeitos benéficos e adversos. Ele pode ajudar a reduzir o risco de diabetes e pedras nos rins, mas pode aumentar o risco de doenças cardíacas e derrames. Portanto, se você não é um bebedor regular de café, converse com seu médico antes de aumentar sua ingestão de cafeína.

4 – Mova-se

Movimentos físicos podem aumentar o ritmo cardíaco e fazer com que o sangue flua. Então, se você notar sinais de pressão baixa devido ao estresse ortostático (por exemplo, ficar em pé por longos períodos), técnicas como levantar o dedão do pé, dobrar a cintura, elevar a perna, andar devagar ou contrair os músculos da coxa podem melhorar sua condição. Além disso, como a pressão pode baixar quando se está deitado, antes de sair da cama, faça atividades como alongamento ou mova as pernas para cima e para baixo.

5 – Reduzir carboidratos nas refeições

Alimentos como arroz branco, pão branco e bebidas açucaradas (refrigerante, por exemplo) são rapidamente digeridos e passados ​​do estômago para o intestino delgado. Isso leva à hipotensão pós-prandial (queda da pressão arterial após a ingestão de grandes refeições). Portanto, cortar alimentos como esses e adicionar mais alimentos que são digeridos lentamente, por exemplo, proteínas, feijões e grãos integrais, pode ajudar a evitar que a pressão sanguínea diminua demais após uma refeição.

Chá para pressão baixa

pressão baixa

Chá de alecrim com erva-doce

Ingredientes:

  • – 1 colher de chá de erva-doce
  • – 1 colher de chá de alecrim
  • – 3 cravinhos ou cravos da índia, sem cabeça
  • – 1 copo de água com aproximadamente 250 ml

Preparo:

Coloque os ingredientes na água e leve ao fogo até ferver de 5 a 10 minutos. Após, deixe descansando por 10 minutos. Coe e beba diariamente antes de dormir.

Chá de gengibre

Ingredientes:

  • – 2 colheres de gengibre ralado
  • – 1 xícara de água

Preparo:

Coloque a água no fogo e adicione o gengibre, deixando ferver por 10 minutos. Depois, cubra e deixe descansando por mais 10 minutos. Coe e beba duas vezes ao dia.

Chá de alcaçuz

Ingredientes:

  • – 1 colher de chá de alcaçuz
  • – 1 xícara de água

Preparo:

Coloque a água para ferver e, em seguida, adicione o alcaçuz. Deixe por uns 10 minutos fervendo, coe e tome uma vez ao dia até normalizar sua pressão.

Complicações da pressão arterial baixa

Se a pressão arterial baixa causar falta de fluxo sanguíneo para os órgãos do corpo, esses órgãos começarão a falhar. Isso pode resultar em acidente vascular cerebral, ataque cardíaco, insuficiência renal e isquemia intestinal. Choque e morte são o resultado final da pressão arterial baixa prolongada.

Mais informações

Na maioria das vezes a pressão baixa não afeta a saúde, mas em algumas ocasiões pode ser grave, necessitando de um tratamento mais específico. Colocar sal debaixo da língua para subir a pressão não traz muitos benefícios e não é a melhor forma de resolver o problema. O melhor é dar líquidos para a pessoa e buscar ajuda médica.

Este artigo te ajudou?
  • +10 curtiram
  • -5 não curtiram